16º dia - Enoshima e Yokohama: Peixes, Comida Chinesa e Ramen


Olá!~
Esse é 16º dia da minha viagem ao Japão e nós estamos apenas na metade. Foi o nosso primeiro dia acordando em Tokyo, mas explorar essa enorme cidade ficaria para alguns dias depois, pois ainda tínhamos outras cidades para visitar e dessa vez fomos a Enoshima e Yokohama.

25 de Dezembro de 2016, Domingo

Templo de Enoshima

Enoshima é uma pequena ilha com uma das praias mais próximas de Tokyo. Mas como era inverno, nós não estávamos lá pelas praias, e sim porque Enoshima é uma das várias ilhas de gatos no Japão. Não é uma das mais famosas e nem tem tantos gatos assim, mas era a mais acessível pra nós e também tinha lugares interessantes pra visitarmos. Um dos principais pontos turísticos da ilha é o Templo de Enoshima, dedicado à deusa da música e do conhecimento Benzaiten, que teria criado a ilha e subjugado o dragão que atormentava a cidade ao redor. E foi nesse templo que nós fomos primeiro. 

Dragão de Enoshima

Chegamos na estação Katase Enoshima e caminhamos pela longa ponte que nos levaria até a ilha. Chegando lá fomos em direção ao templo. Era muito bonito, ficava numa parte alta da ilha e tinha várias lanternas com o que pareciam ser triforces de Legend of Zelda, mas na verdade eram símbolos do clã Hojo, que dominava a ilha. Ao redor do templo nós encontramos vários gatinhos e alguns corvos também. Apesar do tempo nublado (que nos impedia de ver o Monte Fuji), a vista lá de cima era muito bonita.

Estação Katase Enoshima
Ponte para a Ilha de Enoshima
Caminho para o templo de Enoshima
Gatinho no caminho
Entrada do Templo de Enoshima
Templo de Enoshima
Estátua de Benzaiten
Templo de Enoshima
Templo de Enoshima
Mikos (sacerdotizas do templo)
Templo de Enoshima
Gatinho descansando em monumento do templo
Jardim ao lado do templo
Vista do jardim
Corvo
Corvo

Aquário de Enoshima

Saindo da ilha nós caminhamos até o Aquário de Enoshima, que era bem próximo. Eu nunca tinha ido num aquário grande desses, então estava bem empolgada. Nós fomos no horário que abriu e já tinha uma quantidade considerável de pessoas. Foi mágico. Tinha tanques enormes com várias espécies de peixes e alguns até passavam por cima de nós. Além de peixes tinha vários tipos de águas-vivas, lulas, caranguejos, tartarugas e até pinguins e focas.

Peixes
Peixes
Peixes
Raia
Crustáceo colorido
Lulas
Caranguejos
Águas-vivas
Peixes-palhaços
Peixes Blue Tang
Pinguins
Pinguins
Foca
Tartaruga
  Depois de andar por todo o aquário, nós também assistimos um pedaço do show com golfinhos. Foi bem legal, eles davam saltos bem altos e chegavam a molhar as pessoas que estavam mais embaixo na arquibancada. Não tínhamos muito tempo, só por isso não ficamos até o fim. Passamos na lojinha do aquário antes de sair e eu comprei pinguins pra mim e pro meu namorado. Assim nós voltamos pra estação e partimos pra cidade de Yokohama.

Show dos golfinhos
Show dos golfinhos
Show dos golfinhos
Show dos golfinhos
Pinguins que comprei na loja

Chinatown de Yokohama

Chegamos em Yokohama, a segunda maior cidade do Japão, com muita fome, mas paramos no lugar certo para resolver esse problema: a Chinatown de Yokohama, que é a maior Chinatown do Japão! São várias ruas repletas de lojas, restaurantes e templos chineses. Estávamos à procura de um restaurante não muito caro e com pratos interessantes, mas eram tantos restaurantes e tantas pessoas na rua que ficava difícil saber pra onde olhar e nós acabamos nos perdendo.

Chinatown de Yokohama
Chinatown de Yokohama

Depois de caminhar muito e já sem saber em que parte da Chinatown nós estávamos, entramos num restaurante pequeno mas aconchegante e com preços bons. Não me lembro do nome dos pratos, mas meu irmão pegou um arroz temperado e camarões com molho picante e eu peguei um arroz branco e uma espécie de ramen. Cada comida vinha com vários acompanhamentos, então nossa mesa ficou bem cheia. Estava tudo muito gostoso, mas como era muita coisa, não conseguimos comer tudo.

Nosso almoço

Agora de barriga cheia, nós caminhamos com mais calma pelas ruas da Chinatown. Eram tantas lojas que não tinha como ver tudo numa tarde, então entramos apenas nas que nos chamavam mais atenção. Como eu amo pandas, aproveitei que tinha várias lojas só com esse tema e comprei várias coisinhas. Já estávamos cansados de tanto caminhar, então fomos pra nossa próxima parada.

Templo chinês
Templo chinês
Loja temática de pandas

Yamate

Não foram só imigrantes chineses que Yokohama recebeu bastante. Por ser uma cidade portuária muito importante, haviam muitos mercadores europeus vivendo lá também. E nós fomos visitar as antigas residências de alguns deles na área de Yamate. Subimos uma lomba pra chegar no terreno onde ficam as casas conhecidas como Bluff No.18, que era a casa de um padre da igreja católica de Yamate, e Diplomat's House, que, como o nome já diz, era a casa de um diplomata.

Bluff No.18

Pra nossa surpresa, a casa do diplomata, que era uma das que eu achava mais bonitas, estava em reforma, então só conseguimos ver a Bluff No.18. e o jardim. Ainda pretendíamos visitar outras casas, mas como teríamos que caminhar muito pra chegar nas outras e poderia acontecer de mais alguma estar em reforma, nosso cansaço venceu e optamos por parar por ali mesmo.

Vista da Bluff No.18
Jardim

Museu do Ramen

Pegamos um trem e fomos pra estação de Shin-Yokohama para visitar o Museu do Ramen, mas tínhamos almoçado tarde, então ainda era muito cedo pra comer de novo. Foi aí que lembramos que no dia anterior nós pretendíamos ir no karaoke e acabamos não indo. Sendo assim, procuramos o karaoke mais próximo e fomos cantar pra passar o tempo! Ficamos uns 15min apanhando pra máquina de escolher música, porque não sabíamos mexer naquilo, mas depois de entender como ela funcionava conseguimos aproveitar o resto do tempo e foi muito divertido. Saímos de lá e já era noite. 

Meu irmão cantando música enka no karaoke

Museu do Ramen
Caminhamos um pouco até que chegamos no Museu do ramen e fomos recebidos com simpáticos "Hello!" dos atendentes enquanto comprávamos os ingressos. O legal desse museu, além de poder comer ramen de várias regiões do Japão, é que o seu subsolo é uma réplica em tamanho real das ruas de Shitamachi, uma antiga área de Tokyo, nos anos 50, quando a popularidade do ramen começou a crescer bastante. O ambiente é muito legal e a gente se sente em outra época mesmo. 

Na área do subsolo havia 9 restaurantes de ramen. Nós comemos um mini ramen com caldo de soja e sal no Nidaime Genkotsuya e estava muito gostoso. Pretendíamos comer em mais de um restaurante, mas mesmo o mini ramen já era bem grande, então não coube. Passeamos um pouco, assistimos um pedaço de uma das apresentações de rua e subimos para lojinha do museu, que tinha vários objetos temáticos de ramen. Não compramos nada, mas voltamos pra Tokyo bem satisfeitos.



Subsolo do Museu do Ramen
Ramen do restaurante Nidaime Genkotsuya
Apresentação de rua (no subsolo do museu)

Esse foi o dia de Enoshima e Yokohama! Qual das duas acharam mais legal?
O próximo dia é de Kinugawa Onsen, uma cidade resort cheia de parques temáticos e fontes termais!
Até!~

2 comentários:

  1. Que lugar maravilhosooo *¬* Nem sei por onde começo ♥
    Museu do Rameeen *o* não fazia nem ideia de que existia um e agora estou babando querendo comer ;___;
    Chinatown de Yokohama é lindaaaa *o* amei essa lojinha de panda Meu Deusoo ♥ e ainda sou apaixonada pela arquitetura oriental *¬*
    Nem preciso comentar sobre esse aquário, sou apaixonada por peixinhos (meu signo *o*)

    Bjão e obrigada por comentar lá no meu post *--*
    ▽・ω・▽
    Blog:ShyandBrave

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou!
      Dava vontade de comer tudo no museu do ramen, mas as porções tinham que ser menores haha
      Também amo a arquitetura oriental! <3
      Eu que agradeço por comentar aqui :3
      Beijos~

      Excluir

Tecnologia do Blogger.