17º dia - Kinugawa Onsen: Parques Temáticos e Fontes Termais


Olá!!~
Primeiramente, eu mudei o template do blog e a identidade visual também! Eu já não aguentava mais como estava e queria muito mudar, então hoje me inspirei e fiz tudo isso! Ainda estou ajeitando algumas coisas, mas espero que gostem. :3

Mas voltando à viagem ao Japão, já estamos no 17º dia e esse foi um dos mais legais! Nós visitamos a cidade resort Kinugawa Onsen, próxima a cidade histórica Nikko, no meio das montanhas, ao nordeste de Tokyo. Lá em Kinugawa nós fomos em dois parques muito legais e depois passamos a noite num ryokan, um hotel com onsen (fonte termal)!

26 de Dezembro de 2016, Segunda-feira


Tobu World Square

Antes de Kinugawa, nós pretendíamos visitar também a cidade de Nikko, mas como ambas são no meio das montanhas e os horários de trem não se encaixavam muito bem, nós teríamos que sair de casa antes das 5:30 pra dar tempo de ver tudo. Por causa disso e porque alguns dos principais pontos turísticos de Nikko estavam em reforma, nós cortamos a cidade da nossa lista e fomos direto para Kinugawa Onsen, que não é tão conhecida entre estrangeiros, mas entre japoneses é uma popular cidade resort com vários hotéis de fontes termais. Nós escolhemos essa cidade em específico para ter nossa primeira experiência com onsen principalmente por causa dos parques temáticos. Escolhemos dois para visitar antes de ir para o hotel e o primeiro é o Tobu World Square.

Entrada do Tobu World Square
  
Pra quem ama miniaturas e prédios históricos (como eu), o Tobu World Square é um lugar mágico! O parque reúne mais de 100 réplicas em escala 1/25 de construções de 21 países. As réplicas são divididas em 6 zonas: Japão Antigo, Japão Moderno, América, Europa, Egito e Ásia. Sim, basicamente é um parque pra ficar só olhando miniaturas e parece algo sem graça falando assim, mas pelas fotos vocês vão ver o quão legal era! São tantas miniaturas e elas são tão detalhadas que nós conseguiríamos tranquilamente passar o dia ali. 

Estação de Tokyo (fomos lá no 15º dia)
Pessoas saindo da estação
Trem passando para pegar as pessoas
Antigo Hotel Imperial
Estádio Tokyo Dome
Museu Nacional de Tokyo (iremos lá no 26º dia)
Estádio Nacional de Yoyogi
Time comemorando em frente ao estádio
Torre de Tokyo e Torre Skytree (Visitaremos a primeira no 20º dia e passaremos perto da segunda no 25º dia)
Novo Aeroporto Internacional de Tokyo
Novo Aeroporto Internacional de Tokyo
Palácio Akasaka
Navio Fujimaru
Empire State Building, Torres Gêmeas e Estátua da Liberdade
Nova York
Casa Branca sendo atacada pelo meu irmão
Egito
Esfinge
Templo de Abul Simbel
Coliseu (Itália)
Partenon (Grécia)
Palácio de Peterhof (Rússia)
Ponte de Magerebrug (Holanda)
Castelo de Neuschwanstein (Alemanha)
Palácio de Buckingham (Inglaterra)
Basílica de São Pedro (Vaticano)
Detalhes da Basílica de São Pedro
Palácio Belvedere (Áustria)
Castelo de Chambord (França)
Palácio de Versailles (França)
Jardins do Palácio de Versailles
Catedral de Notre Dame (França)
Big Ben e Palácio de Westminster (Inglaterra)
Alhambra (Espanha)
Parque Güell (Espanha)
Templo Angkor Wat (Camboja)
Taj Mahal (Índia)
Cidade Proibida e Muralha da China ao fundo
Pagodas do Dragão e do Tigre (Taiwan)
Palácio Gyeongbok (Coreia do Sul)

Durante o passeio, umas três vezes nós pensamos que já estava no fim, mas aí descobríamos que tinha mais uma parte, de tão grande que era o parque. Foi legal que vimos de perto lugares que nunca tínhamos ido e alguns que nem sequer conhecíamos e também vimos de outro ângulo lugares que tínhamos visitado ainda nessa viagem. Foi bom termos ido mais cedo, superou nossas expectativas.

Castelo de Nijo - Kyoto (fomos lá no 6º dia)
Kasuga Taisha - Nara (fomos lá no 8º dia)
Ginkakuji - Kyoto (fomos lá no 5º dia)
Kiyomizudera - Kyoto (fomos lá no 6º dia)
Todaiji - Nara (fomos lá no 8º dia, mas estava em reforma)
Itsukushima - Miyajima (fomos lá no 11º dia)
Castelo de Himeji (fomos lá no 13º dia)
Castelo de Kumamoto
Glover Garden - Nagasaki (fomos no 10º dia)
Festival Japonês

Depois de sairmos do primeiro parque, fomos almoçar no restaurante Gusto, que é o que os japoneses chamam de Family Restaurant ou apenas FamiResu. São redes de restaurantes casuais que atendem pessoas de todas as idades, especialmente famílias com crianças (por isso o nome) e servem tanto pratos japoneses como pratos ocidentais. O anime Working!! (que eu recomendo bastante) se passa num restaurante assim e eu e meu irmão ficamos encantados quando entramos no Gusto e a porta fez exatamente o mesmo barulhinho que faz em Working!! A atmosfera do lugar também era bem parecida, nós gostamos bastante. Comemos tonkatsu (costela de porco empanada servida com molho, repolho, arroz e sopa de misso), karaage (frango frito) e batatas fritas. As porções eram maiores do que esperávamos, então ficamos bem cheios.

Almoço no Restaurante Gusto

Edo Wonderland

Saindo do Gusto, caminhamos e caminhamos muito pra chegar até o parque Edo Wonderland, também conhecido como Nikko Edomura. É um parque temático que recria a vida no período Edo (1603-1868), numa pequena cidade com todo o estilo arquitetônico e pessoas vestidas com os trajes do período. Era possível para os visitantes alugarem roupas também pra entrarem no clima, mas como era caro, demandava um certo tempo e estava muito muito frio, nós optamos por ficar com as nossas roupas mesmo. 

Paisagem no caminho para o parque Edo Wonderland
Entrada do Edo Wonderland

Entrando no parque nós passamos por alguns portões e depois chegamos numa espécie de estradinha para a cidade num caminho cheio de árvores e alguns pequenos santuários em volta. Além disso tinha também várias plaquinhas, com textos falando mais sobre o período, e era engraçado que uma delas dizia pra tomar cuidado que nas estradas apareciam pessoas querendo se aproveitar dos viajantes vendendo produtos muito caros e um pouquinho depois apareciam umas pessoas pra tirar fotos nossas de recordação e realmente nos oferecem por um preço bem caro! Meu irmão não resistiu e acabou comprando.

Pequeno santuário na estradinha para a cidade
Foto de recordação
Chegando na cidade

Chegando na cidade de fato passamos por vários estabelecimentos antigos, alguns com produtos artesanais e outros comidas e bebidas (e esses realmente vendiam comidas e bebidas). Era legal que dava pra entrar em todos os lugares e reparar em cada detalhe. Mais adiante dois homens caracterizados me convidaram pra dar uma volta num palanquim carregado por eles. Eu fui! Dava um pouco de medo de cair, mas foi muito legal! Mais adiante tinha um templo mal-assombrado. Nós entramos e era bem escuro. Tinha monstros no teto, bonecos super realistas de pessoas mortas e umas ilusões de ótica. Nós até encontramos o rei do inferno budista Enma e ele estava bem bravo por estarmos ali, mas no final Buda nos salvou e conseguimos sair do templo do inferno. Não chegou a ser assustador, porque não me assusto com essas coisas, mas achei muito bem feito!

Cidade
Loja de produtos de palha e bambu
Loja de getas (sandálias de madeira)
Lugar onde era possível alugar roupas tradicionais
Pousada
Pousada por dentro com o mascote do parque, o Nyanmage
Cidade
Cidade
Cidade
Estátuas de tanuki (guaxinim japonês)
Cidade
Cidade
Cidade
Moça de kimono andando pela cidade
Dando uma volta de palanquim
Descendo do palanquim
Rei Enma zangado por termos entrado no Templo do Inferno
Buda aparecendo pra nos salvar

Ao longo do passeio nós também visitamos teatros, museus e até uma prisão. Também presenciamos algumas lutas de samurais e procissão de uma oiran (cortesã/prostituta de luxo) pelas ruas. Mais perto da hora de sair tivemos uma das experiências mais legais, a casa de treinamento ninja! Por fora é apenas uma casa muito torta, mas entrando nela nós perdemos os sentidos! Parece exagero, mas é verdade, ela é tão inclinada que a gravidade nos puxa e tem que se concentrar muito pra conseguir andar e não cair. Foi muito legal e diferente de tudo que eu já tinha sentido. Mais tarde nós encontramos ninjas também e tiramos fotos com eles. Ficamos até o parque fechar (16h) e no final, ao som de tambores, os samurais agradecem a nossa visita. 

Teatros
Museu de forja de espadas
Entrando na prisão
Parte administrativa da prisão
Cela
Cela por dentro
Bonecos de pessoas presas
Procissão da oiran
Oiran
Procissão da Oiran
Procissão da Oiran
Casa de Treinamento Ninja
Entrada da Casa de Treinamento Ninja
Casa de Treinamento Ninja por dentro
Casa de Treinamento Ninja por dentro
Nosso encontro com ninjas
Moço tocando taiko (tambor) na saída
Samurais agradecendo nossa visita

Itoen Hotel New Sakura

Para chegar no hotel nós tínhamos que caminhar muito para então pegar um trem que nos deixaria perto do hotel. Nós já estávamos bem cansados de tanto que caminhamos nesse dia, então nossos passos já não estavam tão rápidos e estava começando a escurecer. Chegando perto da estação, nós tivemos que começar a correr porque já estava quase na hora do nosso trem (e se perdêssemos teríamos que esperar 1h)! Ofegantes, conseguimos pegar o trem e ele nos deixou na estação onde ficam a maioria dos hotéis da região. Caminhamos mais um pouquinho e chegamos no nosso hotel, o Itoen Hotel New Sakura.

Entrada do Itoen Hotel New Sakura (imagem de divulgação)

Fizemos o check-in e além das chaves do nosso quarto ganhamos um mapa e o senhor que nos atendeu nos explicou (em japonês) como funcionava o hotel, onde ficava cada coisa e qual elevador pegar para cada lugar. Depois nós escolhemos nossos yukatas (kimonos de tecido leve) e fomos pro nosso quarto, que tinha camas e móveis ocidentais e uma sala com tatamis, misturando o estilo japonês com o ocidental. Empolgados, fomos colocar nossos yukatas e eu fiz meu irmão tirar várias fotos minhas! 

Recepção do hotel (imagem de divulgação)
Quarto com estilo ocidental e japonês (imagem de divulgação)
De yukata quarto
Yukata
Yukata

Já estava quase na hora da janta, então nós descemos e fomos no salão onde seria servida. Já havia algumas pessoas lá e dava pra perceber que eles nos olhavam com bastante curiosidade, afinal, pelo que percebemos, éramos os únicos ocidentais naquele hotel. Chegou a hora, abriram a porta do salão e nós vimos uma cena inusitada: vários japoneses, que estavam calmos até então, correndo feito loucos pra pegar as comidas antes que acabassem. Não querendo ficar pra trás, nós fomos nos servir também e tinha tanta variedade que era difícil escolher. Pra começar, eu peguei arroz, yakisoba, sushi, batata frita, frango assado, omelete, rosbife e edamame (grãos de soja fervidos ainda dentro da vagem). Depois ainda peguei mais algumas coisas e repeti outras. Foi uma das melhores refeições de toda a viagem.

Salão (imagem de divulgação)
Comida (imagem de divulgação)
Comida (imagem de divulgação)
Bebidas (imagem de divulgação)
Nossa janta

Depois de deixar a comida baixar, estava na hora do banho na fonte termal, finalmente! Como alguém tinha que ficar com as chaves, o meu irmão foi primeiro e eu fiquei esperando. Depois de 1h ele voltou, bem feliz, e me deu umas dicas. Era minha vez. Eu estava muito muito nervosa, afinal, eu que sou bem tímida e reservada ia ficar nua na frente de várias outras mulheres que eu nunca vi na vida. Mas, apesar do nervosismo, eu queria muito essa experiência, então peguei minha toalha e fui lá. 

Chegando no local do banho feminino tinha umas estantes com cestinhas. Tirei toda a minha roupa e coloquei ali. Entrei na sala de banho. Antes de entrar na banheira de fontes termais, é preciso estar muito limpo, então ao lado da grande banheira tem vários chuveirinhos e banquinhos, onde cada um se lava sentado. Fui lá, me lavei, ainda nervosa, sem saber muito bem se estava fazendo certo (afinal, eu nunca tomei banho sentada num banquinho). Prendi meu cabelo, dobrei minha toalha (nem o cabelo, nem a toalha podem encostar na água da banheira) e fui para a banheira interna de águas termais. Tinha uma banheira externa linda também, mas estava uns 2ºC na rua, então não me arrisquei.

Banheira interna e chuveirinhos ao fundo (imagem de divulgação)
Sabonetes, shampoos e cremes (imagem de divulgação)
Banheira externa (imagem de divulgação)

Coloquei primeiro os pés, era realmente muito quente, parecia que eu ia me queimar, mas aos poucos o corpo ia se acostumando e eu já estava só com a cabeça de fora. Finalmente comecei a relaxar. Olhei discretamente as mulheres ao redor e percebi que elas mantinham uma certa distância de mim, o que não me surpreendeu, visto que eu era a única ocidental ali. Mas apesar do estranhamento incial, todas agiam com muita naturalidade, o que me deixava um pouco mais confortável. Depois de alguns minutos, comecei a me sentir um pouco tonta, então levantei. Sentei novamente no banquinho e passei mais uma água no corpo. Saí dali e voltei pra sala das cestinhas, vesti meu yukata e percebi que tinha uma bancada com espelho e secadores de cabelo. Sequei meu cabelo e voltei pro quarto, me sentindo muito bem.

Bancada com espelho (imagem de divulgação)

 
Esse foi provavelmente o post da viagem que eu mais escrevi, mas também foi um dia bem especial pra mim. Qual dos parques vocês acharam mais legal? E o que acharam da minha experiência com onsen? Já sabiam como era?

O próximo dia é de Sendai e dormimos em outro hotel, na cidade de Aomori. Até lá!~

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.